Together We Protect – Zoomarine

Uma Mensagem nos Oceanos

Não vem numa garrafa… mas é uma mensagem importante que pretende alertar-nos para uma perigosa realidade que afecta, um pouco por todo o mundo, golfinhos e muitos outros animais marinhos. E sendo hoje, 8 de Junho, o Dia Mundial dos Oceanos, esta é uma das mensagens importantes a partilhar com humanos de todas as idades.

A verdade é que desde 2006 que a legislação portuguesa prevê tal realidade para, por exemplo, os golfinhos. No entanto, como em tantos outros aspectos da nossa vida, o desconhecimento leva, frequentemente, a comportamentos de risco. Neste caso em particular, tais riscos vão em prejuízo dos golfinhos… E das tartarugas marinhas… E das focas… E de tantos outros.

Desta forma, o Zoomarine, em parceria com a comunidade internacional da AMMPA, o estúdio HOP, o estúdio Magisom e o actor António Cordeiro, assume agora a divulgação de um pequeno vídeo de 30 segundos (em duas versões: dobrada e legendada) através do qual se procura sensibilizar a população portuguesa para esta problemática: a alimentação (recorrentemente ilegal e quase sempre com perigos directos e indirectos) da fauna selvagem.

Com o título “Não alimente golfinhos no meio natural”, este pequeno filme, em formato de fábula, retrata o dilema de um golfinho que assume uma dependência que condiciona a sua própria sobrevivência. 

Mas embora seja o golfinho a estrela do vídeo, a verdade é que ele funciona, uma vez mais, para todas as outras espécies que não têm uma “voz mediática” tão forte, uma cariz tão popular ou um aspecto tão… sedutor. E a verdade é que muitas outras espécies (frequentemente menos bonitas, menos populares, menos abundantes…) sofrem do mesmo problema – que é causado por humanos bem intencionados.

Mas a saúde dos golfinhos e, inerentemente, dos Oceanos, não depende apenas deste inapropriado comportamento humano. Entre as grandes ameaças, um pouco por todo o mundo, às populações de golfinhos, estão a pesca acessória (quando os golfinhos e outros animais são apanhados em redes de pesca que a eles não são dirigidas), a poluição física e sonora (que afecta toda a cadeia alimentar, desde os peixes de que se alimentam até aos próprios golfinhos) e o excesso de pesca (que diminui a disponibilidade de alimento para as espécies marinhas).

É por isso mesmo que estes e muitos outros animais não precisam dos riscos acrescidos da alimentação por parte de humanos. A bem deles, a bem dos humanos e, claro, a bem da saúde dos Oceanos… cujo dia é hoje, mas que importa proteger também nos restantes 364 dias do ano.


Para mais informações, é favor contactar:
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments