Together We Protect

19 outubro 2022

É uma história repetida… Aliás, desde há 25 anos, é quase sempre a mesma história. No entanto, todas as vezes é diferente e todas as vezes é muito especial – porque é uma história sobre salvar vidas, sobre confiar no Futuro, sobre ajudar a proteger uma espécie e, claro!, é uma história de renascimento, porque é fundamental nunca nos esquecermos da importância de se ter uma segunda oportunidade de vida. Este é, portanto, o novo capítulo da história de Túlio, Terrapin, Thankful, Tintin, Teteia, Thunder e Tolstói, os 07 magníficos cágados que, dia 19 de Outubro, receberão “alta médica” e regressarão ao meio selvagem, numa das margens da barragem de Odeleite.

As suas origens são distintas, assim como o são os tamanhos, os pesos e as razões dos 07 resgates e inerentes processos de cuidado e/ou reabilitação – mas, em comum, têm o seu estatuto de conservação (indissociável da espécie Mauremys leprosa, cágado- mediterrânico), a passagem (mais curta ou mais prolongada) pelo Porto d’Abrigo do Zoomarine e, claro, a necessidade de integrarem grupos de reprodução, ou não fossem membros de uma espécie ameaçada de extinção.

Esta devolução colectiva, face às fortes e dramáticas reduções dos espelhos de água na paisagem Algarvia, terá lugar na manhã desta quarta-feira, numa das margens da Barragem de Odeleite, com base numa reiterada cooperação entre o Zoomarine e o ICNF – Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, a entidade que tutela a rede nacional de arrojamentos, da qual o Zoomarine faz parte, como membro cofundador, desde há precisamente 25 anos.

Contrariamente à Salina, a tartaruga-marinha que há 3 meses anda a percorrer o mar Mediterrâneo(*), a progressão destes 07 cágados não poderá ser acompanhada remotamente – no entanto, os maiores destes 07 magníficos serão portadores de um microchip que talvez nos permita, um dia, perceber que crescimento tiveram e, eventualmente, que outros destinos terão escolhido.

Até lá, no Zoomarine ficam mais alguns cágados cujo processo de reabilitação ainda não pode ser dado como terminado – mas como o Porto d’Abrigo do Zoomarine trabalha 24/24 horas/dia, 365 dias/ano, esta “casa” continuará a ser, até à chegada do calor da Primavera, o refúgio de uma pequena mas bem especial família… que não sabe que o é, mas que importa proteger como se o fosse!

E como é em família que passaremos este inverno, em mútuo incentivo e protecção, será juntos que ansiaremos pela próxima devolução, uma vez que JUNTOS PROTEGEMOS – “Together We Protect”.