Noticias
Conservação

A par da Educação Ambiental, o Zoomarine considera indissociável da actividade de um parque de natureza zoológica um contributo efectivo, directo e/ou indirecto, para a Conservação da Natureza.

Desde a sua fundação que o Zoomarine se entrega a uma participação activa no campo da conservação da vida dos oceanos, das suas espécies e dos seus habitats.

Espécimes Irrecuperáveis

Por vezes, espécimes de outros centros de recuperação são dados como não candidatos a uma devolução ao meio natural. As causas podem ir desde a incapacidade física de sobrevivência no meio natural, a uma demasiada proximidade ao ser humano.

O Zoomarine colabora pontualmente com as autoridades portuguesas (e.g. Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas), no sentido de proporcionar um habitat adequado e com cuidados continuados a estes espécimes, que integrarão programas de educação ambiental, que visam a sensibilização para as ameaças de que são alvo as espécies a que pertencem.

O papel do Zoomarine
O Zoomarine procura contribuir para a solução da problemática ambiental que afecta as duas espécies de cágados autóctones (cágado-mediterrânico – Mauremys leprosa e cágado-de-carapaça-estriada – Emys orbicularis)) de duas formas:
 
Educação da população
Durante muitos anos o Zoomarine acolheu nas suas instalações espécimes das espécies de cágados exóticos, dos quais os donos já não tinham possibilidade ou disponibilidade de cuidar.
Neste momento os nossos habitats já se encontram com a lotação máxima, pelo que damos aconselhamento a quem procura orientação, a quem nos visita e através da comunicação social, sobre como proceder nestes casos.
 
Recuperação de espécies autóctones
O Zoomarine, através do seu Porto d'Abrigo, resgata e reabilita espécimes das duas espécies de cágados autóctones, ou seja pertencentes à fauna natural do nosso território, com vista à sua posterior devolução ao meio natural. Procuramos, desta forma, diminuir o declínio destas duas espécies no meio natural.
Espécies Invasoras

Nem todas as espécies exóticas constituem um problema ambiental e nem todas são invasoras. Mas todas as espécies invasoras constituem um problema de conservação, pois vão competir com as espécies nativas pelos recursos disponíveis, de uma forma desequilibrada.

O Zoomarine tem desempenhado um papel activo na mitigação desta problemática, quer pela educação e apoio a particulares, já sem capacidade/disponibilidade para ter os seus cágados em casa, evitando assim a sua libertação no meio natural; quer pela reabilitação e devolução ao meio selvagem de espécimes feridos ou doentes, pertencentes às duas espécies nativas.

O Que Fazer
Caso tenha na sua posse um cágado pertencente a uma espécie exótica e já não tenha capacidade/disponibilidade para cuidar dele, não o liberte no meio natural. Procure contactar as autoridades (e.g. Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas - Tel: 21 350 79 00) sobre como proceder.
 
Da mesma forma, caso pretenda adquirir um cágado numa loja de animais, procure informar-se sobre a sua espécie, longevidade e tamanho máximo de crescimento. Os espécimes destas espécies podem durar mais de 30 anos e crescem bastante, pelo que é importante ponderar bem a sua escolha como animal de estimação.
 
Por fim, caso encontre um cágado pertencente a cada uma das espécies autóctones, não o leve para casa.
A legislação portuguesa proíbe a detenção por particulares de qualquer exemplar de espécies autóctones.